Ligue Agora! (11) 4902-9052

Surto de caxumba: como proceder?

surto-de-caxumba-como-proceder

Desde o início do ano, os casos de caxumba aumentaram consideravelmente no Brasil, principalmente nas regiões Sul e Sudeste. O estado de São Paulo, por exemplo, não registrava um número tão grande de infectados desde 2008.

Em cenários como esse, é fundamental estar bem informado para evitar que as pessoas fiquem apreensivas diante de um surto de caxumba. Neste post, conheça um pouco mais sobre a doença e saiba como agir durante um surto:

O que é caxumba?

Também conhecida como parotidite, a caxumba é uma doença contagiosa, causada por um vírus da família do Paramyxovirus. Sua principal característica, o inchaço no rosto, surge devido à inflamação das glândulas salivares. Como nós possuímos duas glândulas parótidas, uma de cada lado do rosto, a inflamação pode ocorrer em ambas ou em apenas uma delas.

A transmissão da caxumba ocorre a partir do contato direto com uma pessoa infectada, através da saliva ou de gotículas de saliva contaminada que ficam suspensas no ar. O vírus pode permanecer incubado de 12 até 25 dias. Após esse período, surgem os primeiros sintomas da doença.

Quais são os sintomas da caxumba?

Antes do aumento das glândulas salivares, que provoca o característico inchaço no rosto, a caxumba pode causar febre, enjoo, dor de cabeça, fraqueza, dor ao mastigar e dificuldade para engolir.

Qual é o tratamento para a caxumba?

Não há medicamentos específicos para combater a caxumba. O tratamento é feito com anagélsicos e antitérmicos. O doente deve manter-se hidratado e ficar em repouso enquanto os sintomas persistirem. É importante não ingerir nenhuma medicação até consultar um médico e ter certeza do diagnóstico.

Quais são os riscos e possíveis complicações?

Embora sejam raras, algumas complicações podem surgir devido à caxumba. O vírus pode se espalhar por outras partes do corpo, causando meningite e perda da audição. Em gestantes, a caxumba pode provocar abortamento.

Além disso, quando o indivíduo é acometido pela doença após a puberdade, pode ocorrer a orquite, uma inflamação dolorosa no testículo, ou a ooforite, inflamação dos ovários. Ambas podem levar à esterilidade.

É possível ter caxumba mais de uma vez?

É raro, mas pode acontecer. Geralmente, o paciente que já foi infectado pelo Paramyxovirus adquire imunidade contra a doença. Porém, existe a possibilidade de um segundo diagnóstico.

Pessoas que têm imunidade muito baixa e pacientes que sofreram com a inflamação em apenas um dos lados do rosto podem ser afetados novamente. Também vale a pena ressaltar a possibilidade de um erro no primeiro diagnóstico. Portanto, o ideal é tomar todas as precauções para prevenir a caxumba.

Como agir durante um surto de caxumba?

A melhor forma de prevenir a doença ainda é a vacinação. A vacina tríplice viral, que atua contra a caxumba, o sarampo e a rubéola, faz parte do Calendário Básico de Vacinação do Ministério da Saúde. A indicação é administrar a primeira dose aos doze meses de vida e a segunda entre os 4 e os 6 anos.

Adultos que não tomaram a vacina quando crianças devem ser imunizados. Além da vacinação, é necessário evitar contato com pessoas contaminadas e esterilizar objetos de uso pessoal, como copos e talheres.

Diante de um surto de caxumba, o mais importante é ter a certeza de que a sua carteirinha de vacinação está em dia e manter a tranquilidade. Contar com um bom plano de saúde também traz mais segurança para você e sua família. Veja aqui como escolher um bom plano de saúde!

Clique aqui e solicite orçamento expresso. Entraremos em contato em 10 minutos.