Ligue Agora! (11) 4902-9052

Afinal, o plano de saúde cobre cirurgia de astigmatismo?

Saber se o plano de saúde cobre cirurgia de astigmatismo, pode aliviar o sofrimento de muitos indivíduos que sofrem com esse problema. Essa dúvida também permeia indivíduos que necessitam de órtese e prótese, cirurgia plástica, dentre outros procedimentos.

No entanto, além de obter essa informação, é preciso estar dentro dos requisitos autorizados e não apresentar distúrbios sanguíneos significativos ou doenças que possam prejudicar a cicatrização da córnea. Sendo assim, o indivíduo precisa passar por testes pré-operatórios para que os médicos avaliem o grau do astigmatismo, o uso de medicamentos e outras comorbidades.

Assim, é fundamental que o paciente consiga toda a documentação comprobatória para fazer o agendamento da cirurgia e, assim, poder usufruir de uma visão isenta de óculos ou do uso esporádico desse acessório.

Quer entender se o plano de saúde cobre cirurgia de astigmatismo? Então, continue a leitura e confira!

 

Conheça sobre o astigmatismo

Essa doença é decorrente de uma deformidade na curvatura da córnea, causando imperfeição no processamento ótico e dificultando a visualização de objetos e pessoas. Isso acontece porque o ponto de foco que se localiza no final do globo ocular fica disperso.

Com isso, a imagem fica distorcida, embaçada e com pontos que não se consegue distinguir os limites das imagens. Além disso, quanto maior a gravidade do astigmatismo, mais sensível os olhos se tornam.

A correção do astigmatismo pode ser feita por lentes cilíndricas que direcionarão o foco ao ponto específico do globo ocular. Recentemente, foi inserida a cirurgia refratária como ótima estratégia terapêutica.

 

Saiba sobre a indicação para cirurgia refrativa

A cirurgia refrativa é indicada para pessoas com problemas visuais complexos, como miopia, hipermetropia e astigmatismo. No entanto, o paciente necessita atender alguns requisitos básicos para se submeter a essa cirurgia.

O primeiro deles é a avaliação oftalmológica que demonstrará se é viável a aplicação de laser como opção de cirurgia refratária. Em seguida, o médico fará algumas informações que serão plotadas nos documentos oficiais onde consta o parecer para a realização da cirurgia.

Também é fundamental que o paciente se submeta a exames específicos para evitar alterações não previstas. Nesse sentido, são solicitados exames de paquímetro, microscopia e mapeamento da rotina.

 

Entenda sobre a cobertura para cirurgias refratárias

Conforme resolução da Agência de Saúde Suplementar, as cirurgias refrativas são contempladas nos planos de saúde vigentes. Isso implica em autorizar o procedimento para aqueles indivíduos com indicação cirúrgica.

Todavia, é fundamental que o paciente se enquadre na exigência para a realização desse procedimento cirúrgica. Nesse caso, são: ter idade acima de 21 anos, apresentar diagnóstico de miopia moderada e grave, e hipermetropia com ou sem associação de astigmatismo.

Por isso, antes do paciente requerer esse procedimento é importante que ele esteja apto do ponto de vista oftalmológico e fisiológico. Caso contrário, a cirurgia não será possível.

Saber se o plano de saúde cobre cirurgia de astigmatismo é um dos fatores que o individuo deve pesquisar. Porém, é fundamental também verificar se ele se enquadra nos requisitos clínicos para a realização da cirurgia, além de não apresentar nenhuma contraindicação nesse processo.

E você, já se consultou com um especialista clínico para saber se pode fazer a cirurgia refratária? Tem dúvidas em relação a esse procedimento? Então, siga-nos no Facebook, Twitter e YouTube. Até a próxima!