Ligue Agora! (11) 3995-3736

Afinal, plano de saúde cobre redução de mama? Tire suas dúvidas aqui!

Algumas mulheres sofrem com o desconforto que as mamas grandes podem trazer. Embora muitas mulheres sonhem com seios maiores, é importante alertar que, quando o tamanho ultrapassa determinado limite, isso pode provocar dores nas costas, pescoço e coluna, sem contar a dificuldade de encontrar roupas que sirvam.

Mas, apesar desses problemas e desconfortos, será que o plano de saúde cobre a redução de mama? Para entender um pouco mais sobre o assunto e obter as respostas para as perguntas mais comuns, leia o texto até o final!

 

Como funciona o procedimento?

A mamoplastia redutora tem como objetivo promover uma melhor qualidade de vida para mulheres que têm seios muito grandes, a partir da redução das mamas. O procedimento envolve a retirada do excesso de gordura, de pele e de tecido glandular até que os seios atinjam uma medida proporcional ao tamanho do paciente.

 

O plano de saúde cobre a redução de mama?

Embora não conste no rol na ANS (Agência Nacional de Saúde Suplementar), isso não significa que essa cirurgia não deva ser coberta em casos mais específicos.

Quando o tamanho da mama gera danos e desconfortos físicos para a paciente, ou seja, quando transcende o âmbito estético, então o plano de saúde deve sim cobrir o procedimento. Mas como você deve imaginar, isso não é tão fácil de ser viabilizado e envolve a necessidade de um laudo médico que ateste a necessidade do procedimento.

Isso significa que casos estéticos não têm cobertura — ou seja, para ser aceito, o procedimento deve envolver uma questão de saúde, em que o tamanho excessivo dos seios traga dificuldades para o exercício de uma vida ativa, ocasionando dores do corpo e ainda irritação da pele que fica sob mama.

O procedimento também deve ser coberto em casos de lesões traumáticas e tumores (como o câncer de mama). Nesses casos, a cobertura é prevista e garantida por lei. Sabendo disso, o médico deve comprovar que a mamoplastia redutora não é meramente estética — e o plano de saúde deve seguir com a cobertura.

 

O procedimento inclui próteses de silicone?

Pode ser que o médico perceba que o paciente vai precisar de próteses de silicone. O procedimento pode ser feito na mesma cirurgia, mas, como já adiantamos, deve ser indicado pelo médico.

 

Existe período de carência?

Muitas pessoas ficam preocupadas com o período de carência que o plano de saúde delimita. Para quem não sabe, esse é o intervalo que você deve esperar, a partir da contratação do plano, para começar a usufruir de todas as vantagens que uma cobertura oferece.

Os prazos da ANS costumam estipular 180 dias para quem não possui doenças preexistentes (e isso também pode demandar a necessidade de autorização de cirurgias). Ainda assim, caso a situação seja de urgência ou emergência e se o pagamento da sua sua cirurgia tiver sido negado pelo plano, você pode acionar o Poder Judiciário solicitando a cobertura do referido procedimento.

Depois de entender um pouco melhor as condições em que o plano de saúde cobre redução de mama, esteja atento e cuide da sua saúde. E caso ainda não tenha um plano de saúde, entre em contato com a Giovani Seguros agora mesmo. Você pode simular alguns planos em nosso site e ter acesso às melhores opções para o seu perfil.