Ligue Agora! (11) 3995-3736

Disfunção sexual: sintomas, causas e tratamentos para homens e mulheres

Muito conhecida entre os homens, a disfunção sexual já atinge mais de 48% das mulheres brasileiras de acordo com o Centro de Referência e Especialização em Sexologia do Hospital Pérola Byington.

O problema pode ser desencadeado por desordens orgânicas e psicológicas, facilmente tratadas com orientação médica. Para ajudar você a identificar as disfunções sexuais mais comuns em homens e mulheres, vamos falar um pouco mais sobre o assunto e mostrar os sintomas, as causas e os tratamentos de cada uma. Confira!

 

Disfunção sexual feminina

O sexo deixou de ser pensado pelas mulheres apenas para o planejamento familiar. Com o avanço social e as conquistas femininas, todas já podem aproveitar ao máximo o tempo a dois e o prazer que o sexo proporciona. Até por isso, a disfunção sexual feminina vem sendo debatida de maneira mais ampla, já que o objetivo é ajudar as mulheres de todo o mundo.

Entre as causas mais comuns desse evento nas mulheres está o vaginismo, a dispareunia, a perturbação do orgasmo, a perturbação da excitação sexual, o desejo hipoativo e aversão sexual.

A dispareunia se caracteriza pela dor na região genital durante as relações e o vaginismo consiste na dificuldade em tolerar a penetração por conta da contração involuntária dos músculos da região. Ambas as disfunções podem ter causas psicológicas, experiências prévias com dor ou traumas, mas há também o fator orgânico, como inflamações ginecológicas.

A perturbação do orgasmo é a incapacidade ou a dificuldade de atingir o orgasmo e pode acontecer por conta de alterações hormonais, pelo uso de fármacos, por atitudes negativas ligadas à sexualidade ou até mesmo pela influência negativa na fase orgástica, que acontece na adolescência.

Já nas outras disfunções, a mulher não sente vontade de manter uma relação sexual, não consegue manter a excitação e tem dificuldade em alcançar o orgasmo. Em todas elas, estresse, dificuldade de concentração e até mesmo traumas e violência sexual podem ser apontadas como causa.

Nos tratamentos para a disfunção sexual, o acompanhamento ginecológico e psicológico são essenciais. Só assim será encontrada a causa do problema e tratada a raiz psicossocial e orgânica do que a impede de ter uma vida sexual ativa e feliz.

 

Disfunção sexual masculina

Mais conhecidas e debatidas no meio social e médico, as disfunções sexuais masculinas são as disfunções ejaculatórias, a inibição do orgasmo, a dispareunia, a disfunção erétil e a perturbação do desejo hipoativo.

Em todas elas, as causas também são psicológicas, orgânicas ou mistas e precisam ser tratadas com a ajuda de um profissional da área de psicologia e um urologista. O estresse e a ansiedade também são fatores que vêm sendo apontados como responsáveis pela falta do apetite sexual ou pela dificuldade de alcançar o orgasmo.

Entre os sintomas estão a dificuldade em controlar a ejaculação, a ausência de ejaculado e a dor genital antes, durante ou após a prática do ato sexual.

É preciso lembrar também que a andropausa e a menopausa são causas comuns de disfunções sexuais e são amplamente tratáveis com a ajuda de profissionais gabaritados. Por isso, é necessário estar sempre de olho na saúde e realizar visitas periódicas ao seu médico de confiança, que o acompanhará e orientará para os exames necessários para o diagnóstico.

Gostou do conteúdo e quer saber mais sobre saúde e bem-estar? Então siga-nos no Facebook e no Twitter!