Ligue Agora! (11) 3995-3736

Doenças preexistentes X crônicas: o que preciso declarar ao plano de saúde?

Doenças preexistentes e enfermidades crônicas devem ser diferenciadas no momento de contratação de um plano de saúde. Isso porque as especificardes de cada uma devem ser esclarecidas para evitar transtornos para o segurado.

Além disso, esse conceito foi criado apenas para diferenciar as doenças que devem ser relatadas no momento da contratação individual ou familiar, daquelas patologias que foram adquiridas pelo indivíduo ao longo dos anos.

Quer saber a diferença entre doenças preexistentes e doenças crônicas? Então, não perca nosso post de hoje e esclareça suas dúvidas!

 

Quais são as principais características das doenças preexistentes?

As condições clínicas preexistentes são aquelas que o indivíduo já possuía antes de contratar um plano de saúde. Nesse contexto, elas podem estar controladas clinicamente ou necessitar de cuidados intermitentes.

Enquadram-se nesse conceito enfermidades como câncer, diabetes, hipertensão, infecções bacterianas latentes ou quaisquer outras condições que já foram diagnosticadas previamente.

O conceito é controverso, uma vez que não é reconhecido pela medicina, somente para efeitos de financiamento do plano de saúde quando ocorrem complicações decorrentes de existência da doença.

 

O que preciso saber sobre as doenças crônicas?

Devido ao grande arsenal terapêutico e o avanço da medicina, foi possível curar ou prevenir as doenças infecciosas. No entanto, as doenças crônicas surgiram como a maior causa de invalidez e morte nas sociedades atuais.

Isso porque as doenças crônicas são aquelas que perduram por longos períodos no indivíduo e causam sequelas clínicas significativas. É o caso da hipertensão que, quando descontrolada, é responsável por distúrbios cardiovasculares e cerebrais.

Esse conceito é reconhecido pela medicina e, por isso, essas doenças devem ser diagnosticadas precocemente, necessitando de acompanhamento multiprofissional contínuo e adesão do paciente às terapias propostas.

 

Por que declarar essas doenças para o plano de saúde?

Teoricamente é preciso declarar todos os problemas clínicos que já aconteceram na vida do paciente. Isso porque a relevância dos eventos será analisada pela junta médica da operadora.

Porém, sabe-se que os profissionais que trabalham nas operadoras de planos de saúde já possuem conhecimento suficiente para avaliar as doenças que acometem cada faixa etária e quais os custos do tratamento de cada uma delas.

Considerando esses fatores, os futuros segurados preenchem os formulários da empresa a fim de levantar a história clínica atual e medicamentosa e, após essa análise, será feita a aprovação do plano.

 

Como relatar as doenças preexistentes?

Caso o paciente apresente uma doença crônica que foi diagnosticada antes da assinatura do contrato, ela será considerada como preexistente. Todavia, existem situações em que isso não é possível controlar.

Isso acontece quando o indivíduo descobre um nódulo tumoral ou aparecem distúrbios nos órgãos. Como os pacientes não fizeram exames anteriores sobre essas patologias, não foi possível constatar.

Sendo assim, essas condições não são consideradas preexistentes e as seguradoras devem arcar com os custos do tratamento conforme definido em contrato. Contudo, se o indivíduo omitir sobre algum resultado, esse problema será resolvido na esfera judicial.

Doenças preexistentes são condições clínicas previamente diagnosticadas antes da contratação de um plano de saúde.  Podem ser crônicas ou com fases de agudizarão e devem ser relatadas antes da assinatura do contrato. Isso porque as condições do plano poderão ser remanejadas conforme essa informação e nenhuma das partes será afetada em casos de financiamento.

E você, já assinou seu contrato com a operadora de plano de saúde?

 

Clique aqui e solicite orçamento expresso. Entraremos em contato em 10 minutos.