Ligue Agora! (11) 4902-9052

Entenda os perigos escondidos na resistência a antibióticos

A resistência a antibióticos é um problema complexo e as consequências clínicas são significativas tanto para o paciente quanto para população. Estima-se que esses medicamentos serão eficazes por pouco tempo.

Isso significa que o tratamento das doenças com antibióticos não surtirá efeito em alguns anos causando a morte de muitos pacientes.

Por isso, é fundamental seguir as orientações clínicas e solucionar dúvidas sempre que necessário para evitar complicações das infecções bacterianas. É importante também não praticar a automedicação — comportamento associado à ingestão de medicamentos sem aconselhamento profissional.

Os perigos da resistência a antibióticos são muitos e detalharemos a seguir. Fique por aqui e entenda!

 

Como ocorre a resistência a antibióticos

A resistência a antibióticos é quando as bactérias criam estratégias para não serem atingidas por esses medicamentos. Algumas criam barreiras específicas, dificultando a passagem dos antibacterianos, enquanto outras produzem enzimas que anulam os princípios ativos dos medicamentos. Esse fenômeno ocorre devido ao desenvolvimento de mutações e outras alterações celulares nas bactérias.

O resultado disso é a proliferação desenfreada desses microrganismos, aumento da febre e piora do quadro clínico do paciente. Nesses casos, o uso de antibióticos mais potentes é requerido e as reações adversas podem aumentar.

 

Consequências da resistência a antibióticos
Bactérias mais resistentes

O uso continuado e irracional de medicações antimicrobianas causa alterações na estrutura molecular das bactérias tornando-as mais resistentes. Isso significa que será necessária a inserção de produtos com maior espectro de ação.

Em pacientes debilitados, essa questão é delicada, pois pode danificar os rins, situação que necessita de um tratamento de suporte (hemodiálise) ou internação hospitalar, o que gera custos clínicos e financeiros significativos.

Dificuldade para encontrar novos produtos

Como a resistência é algo que se desenvolve espontaneamente, não se pode prever esse acontecimento. Por isso, os médicos analisam os sinais e sintomas clínicos apresentados pelo paciente para avaliar quando podem solicitar o antibiograma.

Esse teste fará uma avaliação dos medicamentos que são sensíveis nos sítios infecciosos e aqueles que são resistentes, facilitando uma nova conduta. Porém, esse exame é caro e demorado e, devido a isso, muitos médicos tratam empiricamente uma infecção com medicamentos potentes.

Dessa forma, existe uma dificuldade para encontrar novos produtos e combater doenças causadas por diferentes formas de microrganismos.

Probabilidade de gerar infecção generalizada

A resistência a antibióticos causa ineficácia da terapia medicamentosa e proliferação das bactérias. Com isso, ocorre a migração desses microrganismos para a circulação sistêmica de forma a infectar novos órgãos.

A infecção generalizada é uma condição clínica que desafia a conduta médica e exige cuidados específicos na avaliação do paciente. Além disso, o risco de contaminação ambiental é significativo e deve ser monitorado.

A resistência a antibióticos é uma situação preocupante que envolve a saúde do paciente e de toda a comunidade. Esse fenômeno gera bactérias mais resistentes, dificuldade para tratar os novos casos clínicos e risco de infectar um maior número de órgãos. Por isso, é crucial que o paciente não utilize medicamentos sem orientação do médico e do farmacêutico e procure ajuda clínica sempre que possível.

Agora que já sabe os perigos da resistência a antibióticos, compartilhe com seus amigos nas redes sociais e ajude a disseminar informações de qualidade!